Publicado por: absesimbra | 10 de Dezembro de 2014

Mordomia parte II

Caminhando para o fim a área seguinte em estudo dentro desta disciplina da mordomia, é a “Experiência de vida, e de vida cristã”.

Irmãos, acreditamos que nada acontece por acaso. Se o irmão passa e passou pelas experiências que passou é porque Deus lhe quis ensinar algo e a prepará-lo para ser usado para o avanço do Seu Reino.

Na sua experiência de vida, o irmão pode ser chamado a aconselhar, a consolar, a exortar alguém que esteja a passar por uma circunstância idêntica à que passou. Ser um bom mordomo é não ficar calado ou sem ação percebendo que pode ter uma palavra a dizer a fim de ajudar alguém que passa por uma má circunstância. A experiência de uma doença, de um acidente, de uma morte pode ser usada para o consolo de outros que passam pela mesma experiência traumática.

O mesmo se passa na nossa experiência de vida cristã. Saber orar. Saber ler a Bíblia. Saber interpretar a Bíblia, Saber evangelizar. Etc… Quantos de nós neste momento acompanhamos alguém mais novo na fé na sua caminhada cristã? Ser-se bom mordomo é acompanhar alguém passando-lhe ensinamentos acerca da vida cristã que nós próprios já temos/aprendemos e crescemos. Não existe um curso para sermos pais e mães… no entanto de uma forma natural assumimos esse compromisso e essa tarefa. O irmão não precisa de tirar um curso para acompanhar um “filho” espiritual seu. Basta passar aquilo que já aprendeu e viveu com Deus.

Se não acompanhamos ninguém não estamos a exercer bem a nossa mordomia face à experiência de vida e experiencia de vida cristã que temos que foi Deus que nos deu.

Pergunte-se a si mesmo qual a razão por que não discípula/acompanha ninguém? Qual a razão porque não acompanha semanalmente ou quinzenalmente ou mensalmente alguém que é mais novo do que você na vida cristã? Acompanhar significa por vezes apenas ler a Bíblia e orarem juntos acerca de assuntos pessoais e da igreja.

O irmão pode dar a desculpa que não tem tempo, mas lembre-se da mordomia na questão do tempo. Pode até dar a desculpa dizendo que não tem ninguém ou não existe ninguém para acompanhar, mas peça a Deus alguém! Quanto tempo em oração passa pedindo a Deus que lhe mostre alguém para você ajudar a crescer espiritualmente?

Ajudar alguém a crescer espiritualmente custa, dá trabalho. Temos de sair da nossa zona de conforto, mas irmãos é um fruto que permanece e pode crescer muito para a Glória de Deus.

Como tenho sido eu mordomo nesta área da minha vida?

Por fim a última área que vamos focar são a dos nossos recursos materiais, coisas como carro, casa, roupa, comida, dinheiro, etc…

O Egoísmo, ou melhor o permanecer no egoísmo é uma característica de alguém que não está sendo transformado por Cristo. Quando alguém consegue negar-se a si próprio em favor dos outros podemos perceber através desse fruto de que essa pessoa está sendo transformada por Jesus. Alguém que abra mão do que é seu por direito para favorecer alguém que não merece e sem esperar nada em troca, é alguém que compreendeu o amor e a ação de Deus para com a humanidade. Pode concluir-se que Jesus está a trabalhar na vida dessa pessoa.

Todos os bens materiais que temos, foram-nos dados por Deus, e têm de estar ao serviço do avanço do Reino de Deus. Nada nos pertence, nós apenas somos mordomos daquilo que Deus nos colocou para gerir. Vejamos o que o próprio Jesus afirma quando esteve na terra (Mateus 20:25-28)

“Então Jesus, chamando-os para junto de si, disse: Bem sabeis que pelos príncipes dos gentios são estes dominados, e que os grandes exercem autoridade sobre eles.
Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal;
E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;
Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.”

Será que os meus bens estão ao serviço da comunidade onde estou inserido? Será que os meus bens (dinheiro, carro, casa, roupa, comida, máquina fotográfica, computador, tablet, telemóvel, etc…) estão ao serviço do Reino de Deus? Ou seja se eu for chamado a ofertar ou a emprestar uma dessas coisas para que mais pessoas possam conhecer Jesus estou disposto a fazê-lo?

Sabemos irmãos que a área mais sensível de abrirmos mão é a do dinheiro! A própria Bíblia compara o dinheiro a um deus que faz frente ao Senhorio de Cristo nas nossas vidas. Foi assim nos discursos de Jesus quando este se referia aos ricos e dificuldade de estes entrarem no reino dos céus e também foi assim no diálogo com o jovem rico lá em Lucas 18 quando este desde pequeno que era alguém exemplar cumprindo com todos os mandamentos mas falhando redondamente na sua dependência para com Deus, dependendo somente das suas riquezas, e após a confrontação de Jesus o jovem optou por afastar-se de Jesus e não de segui-Lo.

Faça uma avaliação da sua gestão financeira e procure entender se o seu dinheiro está ao serviço de Deus? Já o ditado popular diz que o dinheiro é bom servo mas mau senhor. O que isso quer dizer?

Deixe-me perguntar-lhe o irmão abre mão do seu dinheiro em favor de alguém que apesar de não merecer (Graça) mas precisa de ajuda material? Sabe que Deus pode transformar essa sua ação numa oportunidade para a salvação espiritual dessa pessoa.

Percebe irmão, o nosso foco deve estar no espiritual e não no material. O material deve subjugar-se ao espiritual, e não o contrário. Muitas das vezes damos primazia ao material em detrimento do espiritual, quando decidimos gastar o nosso dinheiro em coisas, objetos muitos deles lícitos é verdade, mas muito pouco produtivos para o espiritual, ao invés de contribuirmos com os nossos dízimos e ofertas para o avanço da igreja e para o desenvolvimento da obra de Deus. Por exemplo apoiando alguém a estudar a Bíblia, apoiando algum missionário que está lá fora a dar a sua vida para falar de Jesus a quem ainda não conhece, ou sustentar as atividades da igreja que servem para espalhar o evangelho no local onde estão inseridos.

Deus quer uma total dependência Dele nesta área, Deus quer que nós confiemos nas suas promessas, que quando somos chamados a dar cumprimos com esse chamado porque sabemos que o DONO não vai permitir que nos falte nada daquilo que é o necessário para vivermos uma vida digna de sermos chamados filhos de Deus. Acredito irmão que nós não damos mais porque duvidamos do cuidado de Deus, porque duvidamos do suprimento de Deus, temos uma fé fraca que não enxerga para além do pouco que possuímos. Uma fé que não sabe nem quer saber quem Deus é e aquilo que Deus pode fazer através de uma vida 100% entregue a Ele. Mais facilmente confiamos numa outra coisa qualquer do que confiamos no nosso Senhor que já nos deu provas de que nos ama e não nos abandona.

Conclusão

Todos estes aspetos alguns pregadores poderiam dizer que devemos dar o dizimo ou seja 10% do nosso tempo, dos nossos recursos, dos nossos talentos, da nossa experiência de Vida e de vida cristã…

Eu diria que Deus não quer o nosso dízimo!

Deus quer a nossa totalidade, 100% das nossas vidas e não somente 10%.

Tudo o que fazemos com a nossa vida deve estar focado a 100% para a Glória daquele que nos criou e que nos dá as condições para viver – Deus.

Se não está disposto a se entregar a 100% então reflita nas palavras de Deus em Apocalipse 3:14-22 vamos abrir e ler.
Deus fala para pessoas que frequentavam uma igreja de nome Laodicéia. Uma igreja que no seu exercício da mordomia não tinha a consciência de que Deus era o dono o Senhor de tudo, porque vemos no verso 17 que a igreja dizia ser rica e não precisar de nada. Ou seja no seu exercício de mordomia estes crentes não reconheceram a sua dependência do Senhor, mas antes dependiam das suas posses, por isso eram mornos ou seja não se entregaram a Jesus a 100%. A consequência dessa falta de entrega é a repulsa da parte de Cristo manifesta na afirmação “Estou ao ponto de te vomitar da minha boca.”

Não sei se o irmão está a entender a importância desta afirmação de Jesus.

Ou se está com Deus a 100% ou não se está! Não pode estar com Deus a 99%… Deus quer a sua vida na totalidade e não apenas o dízimo, os 10% da sua vida.

Mas as boas notícias e com Deus quase sempre existem boas notícias, é que existe uma 2ª oportunidade. Vejamos os versos 19 a 21…

Estás disposto a agarrar esta 2ª chance?

Vamos orar em silêncio!

(Texto adaptado pregação Pr. Tiago Afonso)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: