Publicado por: absesimbra | 22 de Janeiro de 2015

Estudo do livro de Daniel – Daniel 1

Introdução: Vimos a semana passada este conflito que surge entre a cultura do evangelho e a cultura do mundo/secular. Vimos também que o cristão enfrenta desafios diários em que no momento das decisões tem de optar entre fazer a vontade de Deus ou fazer a sua própria vontade influenciado pelo mundo ou por Satanás.

Vamos hoje estudar a vida de 4 personagens bíblicos que constam no livro de Daniel. Jovens que enfrentaram desafios que colocaram em causa a sua devoção a Deus, mas que se mantiveram firmes face a experiencias de vida ou morte.

Capítulo 1

Contexto histórico de Daniel 1:1

“No ano terceiro do reinado de Jeoaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei da Babilónia, e a Jerusalém, e a sitiou.”

Jeremias 25:1-11 – Motivo pelo qual Deus permitiu a Babilónia levar cativa a população de Judá. LER

Jeremias data este episódio do ponto de vista dos judeus, no livro de Daniel é datado na perspetiva dos Babilónicos.

A mesma coisa é relatada em II Crónicas 36:5-21. LER

A data a que Daniel se refere é desde 605 aC. a 536 aC.

Sabemos que Jeoaquim era um dos filhos de Josias, apesar de Josias ser um rei temente a Deus os seus filhos que reinaram após ele afastaram-se de Deus e com isso levaram também o povo a afastar-se de Deus. O cativeiro vem como que uma correção de Deus para com o povo. (Daniel 1:2)

Quem era Nabucodonosor?

Um rei muito temido pelos seus súbditos. (Ler pág. 12 do livro em estudo)

O rei tinha uma estratégia brilhante para fazer o seu império prosperar. (Daniel 1:3-7)

Entre os escravos vindos de Judá 4 Jovens são escolhidos – Daniel, Hananias, Misael e Azarias.

Teriam de corresponder às características descritas pelo rei.

O plano do rei era um ataque subtil ao centro de gravidade dos rapazes que pensasse terem aproximadamente entre 17 e 18 anos. Nabucodonosor tentou mudar o pensamento deles exigindo que estudassem com os astrólogos da Babilónia. Depois disso tentou mudar o alvo da sua adoração pela troca dos nomes deles. Todos eles tinham nomes onde o nome do Deus de Israel era mencionado…

Significados dos nomes judaicos:

  • Daniel – Deus é o meu Juiz;
  • Hananias – Deus é gracioso
  • Misael – Quem é como Deus?
  • Azarias – Ajudado por Deus/o Senhor é o meu socorro;

A mudança dos nomes era para indicar uma transferência de lealdade para com deuses da Babilónia.

Significados dos nomes babilónicos:

  • Beltessazar – Príncipe de Bel (Bel era um dos deuses principais da Babilónia);
  • Sadraque – Iluminado pelo deus sol;
  • Mesaque – Quem é como o deus lua?
  • Abede-nego – Servo do deus Nego;

E chegámos ao verso 8, o verso chave dos primeiros 6 capítulos do livro de Daniel.

“Resolveu Daniel firmemente não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se.”

O que significava comer essa comida?

Primeiro dizer que estes jovens encontravam-se numa situação muito desfavorável para pedir o que quer que fosse. Eles encontravam-se num país estrangeiro, onde estavam na condição de escravos. Então Daniel pedir o que pediu no verso 8, e no seu coração decidir obedecer a Deus (ver a palavra FIRMEMENTE) é algo extraordinário.

Mas por causa da obediência de Daniel e dos amigos Deus concedeu-lhes misericórdia e compreensão da parte do chefe dos eunucos. (Verso 9).

APLICAÇÃO: Quantos de nós já tivemos a experiencia de decidirmos a todo o custo obedecer a Deus e prontos para sofrermos as consequências dessa obediência, consequências essas que nos deixam por vezes em situações muito complexas de se gerir (em alguns casos de vida ou morte) e logo depois a esse compromisso vemos o livramento de Deus?

Deus cuida de quem decide obedecer-Lhe. LER Salmo 91 Cremos nisto? Estamos disposto a experimentar isto no nosso dia-a-dia?

O que significava comer essa comida?

O que Daniel viu, em primeiro lugar, foi que aquela comida não era preparada segundo os costumes alimentares de Israel. No entanto a vida no exílio, tornou impossível aos rapazes judeus de guardar muitas das leis de Israel baseadas na Toráh e no templo.

Mas o que provavelmente seria uma questão ainda mais importante para Daniel, era o padrão que emerge noutros aspetos da sua vida. Daniel não queria fazer nada que honrasse outros deuses incluindo os da Babilónia. Ele queria somente agradar o Deus de Israel o seu Deus. Daniel viu como uma violação da Palavra e da honra do seu Deus o ato de alimentar-se e beber daquilo que era oferecido aos ídolos da Babilónia.

Seguir o curso da maioria seria o caminho mais fácil. Mas o objetivo de Daniel era a obediência a Deus apesar do ambiente em que estava.

Daniel decidiu firmemente não se contaminar em seu coração. Esta é a atitude chave. Se a prioridade é a pureza, deve ter o desejo de obedecer a Deus, e o compromisso de agir com base nesse mesmo desejo. Daniel e os amigos tinham uma variedade de opções, e algumas delas bem mais atraentes de que as que escolheram, mas eles estavam determinados em ser leais ao seu Deus.

E Deus honrou-os livrando-os do mal! Versos 15 e 16.

Que ídolos de hoje tiram a Glória de Deus nas nossas vidas? Que ações para com esses ídolos nos fazemos, (como o ato de Daniel comer carne) que demonstram que estamos a honrar mais esses ídolos do que ao próprio Deus?

Na gestão do nosso tempo; na gestão dos nossos recursos (dinheiro e etc.); nas decisões que tomamos no nosso dia-a-dia.

Honramos Deus afastando-nos do pecado independentemente das consequências? Ou mais facilmente pecamos e honramos a Satanás e a nossa velha natureza?

Daniel e os seus amigos saíram-se melhor do que os outros porque Deus trabalhou em seu favor. Deus honrou a sua obediência. Como resultado foi-lhes permitido que continuassem com a dieta de legumes e com isso continuar a honrar o seu Deus. Daniel permaneceu firme porque estava comprometido com a pureza que flui da obediência à Palavra de Deus. E esta Palavra proporcionou-lhe um alicerce para viver numa cultura difícil e cheia de pecado.

Estar comprometido em ser Santo para o Senhor!

No verso 20 a bênção de Deus é confirmada no momento em que Daniel e os seus amigos foram declarados 10 vezes mais doutos ou sábios que todos os outros na Babilónia.

Apesar das circunstâncias que vivia, cativeiro, escravo, conseguiu não se contaminar com as coisas pagãs, de uma cultura secular, mundana, contrária a Deus, e honrar o Deus de Israel. Daniel não colocando em causa a sua fé e obediência a Deus, conseguiu ganhar o respeito dos que estavam à sua volta, assumindo um papel importantíssimo no reinado de Nabucodonosor, um dos mais importantes daquela época.

Daniel e os seus amigos (e vamos nos aperceber disso à medida que vamos avançando no estudo deste livro) são a prova de que podemos ser santos e honrar Deus independentemente das circunstâncias e das coisas que nos rodeiam.

Está disposto a fazer essa decisão?

Pedir a Deus para ser Santo e honrá-Lo independentemente das circunstâncias que o rodeiam?

Mas tem de ser uma decisão séria! Momento de oração!

Pedir a Deus para ser Santo e honrá-Lo independentemente das circunstâncias que o rodeia

Esboço pregação TAfonso domingo 18.01.2015


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: