Publicado por: absesimbra | 29 de Novembro de 2015

Pregação 29.11.2015

Perspetiva de vida – ilustração da corda

Investimos mais neste pedaço de corda que simboliza a vida cá na terra, mas negligenciamos a vida eterna com Deus.

Passagens que falam acerca do céu/Vida eterna com Deus

  • Apocalipse 21:3-4
  • João 14:2
  • Filipenses 3:20-21

Durante a vida cá na terra não podemos ter duas posturas de vida.

  • I Reis 18:21
  • Mateus 6:24
  • Apocalipse 3:15-16

Viver uma vida dupla (Espiritual e carnal) não é digna de Deus.

A vida que vivemos manifesta-se pelas decisões que tomamos e essas decisões transformam-se em obras/comportamentos.

Se analisarmos o discurso de Deus para com as 7 igrejas do Apocalipse verificamos que Deus diz cerca de 5 vezes a expressão “Conheço as tuas obras…”

  • Apocalipse 2:2
  • Apocalipse 2:19
  • Apocalipse 3:1
  • Apocalipse 3:8
  • Apocalipse 3:15

Deus conhece as nossas obras. Deus sabe tudo acerca de nós.

E nós estamos conscientes das nossas ações? As nossas ações estão a dignificar Deus? Estão a agir em conformidade com a decisão que tomámos de aceitar Jesus como nosso Senhor?

Mateus 3:8 leva-nos a crer que um verdadeiro crente tem de produzir fruto de arrependimento.

Exemplo Bíblico de duas personagens bíblicas que dialogam com Jesus:

Jovem rico – Mateus 19:16-26

  • Rico;
  • Religioso, ou seja tentava seguir os padrões da lei de Deus;
  • Mas negou seguir Jesus para isso demonstrando fruto de arrependimento. Não quis vender tudo o que tinha e dar aos pobres e seguir Jesus;

 

Zaqueu – Lucas 19:1-10

  • Rico;
  • Não religioso, aliás até levava uma vida em que roubava e estava fora da lei de Deus
  • Mas aceitou seguir a Cristo demonstrando fruto digno de arrependimento. Deu aos pobres metade do que tinha e restituiu em 4 vezes mais o que tinha roubado.

Mateus 7:13-29 – Pelos frutos os conhecereis…

Percebemos a postura de vida, os comportamentos que temos de ter enquanto cristãos? Aos olhos dos homens o jovem rico possivelmente era o que estava mais perto de Deus… mas qual o fim de um (jovem rico) e de outro (Zaqueu)?

 

Posto isto existe um outro pensamento que queria deixar para concluir o primeiro…

Quais as implicações na vida da igreja/Reino de Deus do meu mau exemplo, da minha vida dupla.

  • Mau exemplo para com os outros
  • Escandalizo os outros
  • Afastamento de Deus
  • Blasfémia de Deus

Temos de compreender que quem é parte da igreja é:

  • Imagem de Deus
  • Fala em nome de Deus
  • Tem uma grande responsabilidade

Concluo com um pensamento de Jesus descrito em Lucas 11:23 referindo-se a brechas nos reinos que os tornam mais fracos, igualmente o reino de Deus – “Quem comigo não junta espalha…”

 

 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: