Publicado por: absesimbra | 20 de Fevereiro de 2016

Pregação culto 14 fevereiro 2016 Resumo do ensino do ACJJ

Foi um acampamento composto por 47 campistas; 8 monitores; 6 responsáveis; 4 ppto´s; 5 elementos da cozinha.

Dos 47 campistas tivemos 4 jovens que não eram convertidos, dos quais 3 tomaram uma decisão para Jesus. Os restantes 43 campistas são jovens que regularmente estão nos grupos de jovens da igreja, para esses foi também feitos desafios para crescerem na sua vida cristã.

De forma à igreja poder ficar a saber o que se ensinou neste acampamento, decidi partilhar neste tempo que se segue aquilo que os jovens foram desafiados a pôr em prática. Inclusive os nossos jovens de Sesimbra: Rafael Pereira; Tiago Magro; Margarida Cuche; Raquel Correia e a Gabriela Gomes.

Estudámos 3 parábolas de Jesus.

Primeiro definimos o que é uma parábola e quais as regras que existem para se interpretar bem uma parábola.

Parábola é uma história que Jesus contou com situações do dia-a-dia com o objetivo de nos ensinar uma verdade espiritual.

As 3 regras básicas para se retirar o ensino correto de uma parábola são:

  • 1ª A interpretação correta da parábola surge da verdade principal da própria parábola e não dos pequenos detalhes;
  • 2ª A interpretação correta da parábola faz harmonia com o contexto dessa parábola, ou seja contexto significa os versículos que estão imediatamente antes e depois dos versículos da parábola;
  • 3ª A interpretação correta da parábola faz harmonia com o resto da Bíblia, ou seja se na interpretação de uma parábola não estiver de acordo com o ensino de outras partes da Bíblia é errada;

Na Bíblia existem mais de 40 parábolas, por questões de tempo tivemos de selecionar 3 para as estudarmos mais a fundo.

Quais foram?

  • E a do Bom samaritano descrita em Lucas 10:25-37
  • A dos talentos descrita em Mateus 25:14-30
  • A do semeador, descrita em Marcos 4:1-20

A Parábola do Bom Samaritano

Ler: Lucas 10:25-37

Esta história começa com uma pergunta: “Que farei para herdar a vida eterna?”

Os jovens foram levados a interrogar acerca desta mesma pergunta. Aqui surgiu uma boa oportunidade para se expor o plano da salvação, no fundo aquilo que nos pode levar à vida eterna.

Foi mostrado este vídeo. (1º Vídeo)

Depois seguimos para a interpretação da parábola:

Jesus fala da forma como nós podemos ter a vida eterna, será aplicando os 2 mandamentos que resumem toda a lei:

“Amar a Deus de todo teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e amarás o teu próximo como a ti mesmo.”

Quando se trata de amar a Deus nós jamais negaremos que amamos a Deus, entre nós é politicamente incorreto afirmar que não amamos a Deus, mas é interessante aquilo que João diz em I João 4:20:21 (LER)

Somos motivados a amar os nossos irmãos, o nosso próximo, como forma de demonstrar amor a Deus.

E de seguida Jesus conta então uma história para nos ajudar a entender quem é o nosso próximo.

Existem pelo menos 5 personagens nesta história, e vamos aprender com as atitudes de 3 delas.

Temos o Sacerdote, que é o primeiro homem a ter contacto com o viajante já ferido. O que é um sacerdote? Um representante de Deus no meio do povo. Podem dar exemplos daquilo que poderiam ser sacerdotes dos dias de hoje? Líderes religiosos – padres, pastores, etc…

Qual foi a sua atitude? Passou de largo… o que se esperava daquele homem sacerdote? O que se espera dos religiosos de hoje? De alguém que fala em nome de Deus? Que cumpra com os dois maiores mandamentos que Cristo nos deixou: Amar a Deus e ao próximo. Foi isso que este homem fez? NÃO!

Depois temos o Levita, que é o segundo homem a ter contacto com o viajante já ferido. O que é um Levita?

 

Era um membro da tribo hebraica sacerdotal de Levi.

 

Levita era uma espécie de funcionário dedicado ao serviço do templo, com atribuições acessórias ao culto, menos importantes do que as que cabiam aos sacerdotes; outra palavra pode ser diácono.

Qual foi a sua atitude? Também passou de largo… o que se esperava daquele homem ligado à religião? O que se espera dos religiosos de hoje? De alguém que trabalha para Deus? Que cumpra com os dois maiores mandamentos que Cristo nos deixou: Amar a Deus e ao próximo. Foi isso que este homem fez? NÃO!

Quinto lugar temos o Samaritano. Que é o terceiro a ter contacto com o viajante.

Primeiro precisamos perceber qual era a relação entre os judeus (a quem está a ser contada esta história) e os samaritanos o protagonista bom desta história.

Os judeus consideravam-se o povo escolhido por Deus, o único Deus verdadeiro, e com isso tinham um complexo de superioridade em relação aos outros povos. Os samaritanos eram estrangeiros ou refugiados que vinham viver para o território judaico mas que envolvendo-se com o povo judaico manchavam a pureza da sua raça. Os judeus daquele tempo chegavam mesmo a ser muito racistas com os samaritanos.

Usando uma pequena analogia dos nossos dias, de uma forma geral como é que as pessoas (e ás vezes nós) tratamos os ciganos? Pois era muito pior… se nos nossos dias não é socialmente aceite tratar-se os ciganos de uma forma diferente e por isso não é tão evidente esse mau tratamento, na época dos judeus era mesmo socialmente aceite e vivido este racismo entre eles e os samaritanos.

E qual é a atitude deste homem?

Ajudou um judeu (mesmo sabendo deste racismo), deu dos seus recursos, e deu do seu tempo, em favor de alguém que provavelmente só o iria tratar mal.

Que grande lição Jesus nos estava a dar. Daquele que nunca se esperaria o amor, foi aquele que amou. Dos outros que se esperava que amassem, porque eram da mesma raça ou povo ou ainda mais porque tinham ocupações ligadas a Deus, mas não o fizeram.

Terminar com Lucas 6:32-36

 

A Parábola dos talentos LER Mateus 25:14-30

Talentos são recursos dados por Deus. Como é que esses recursos devem ser usados? Para o bem de Deus. O que é o bem de Deus? Para a sua glória, para que mais pessoas o possam reconhecê-Lo como Senhor e Salvador.

Podemos dizer mas que recursos eu tenho? Só apenas um jovem e não tenho nada. Quando pensamos em recursos na nossa mente vem logo a palavra dinheiro… mas temos muitos mais recursos que apenas dinheiro, recursos que Deus nos dá.

Como por exemplo:

  • Bens materiais (consolas, videojogos, roupa, ténis, chuteiras de futebol, etc…)
  • Tempo (24h por dia)
  • Capacidades (tocar um instrumento musical, mexer bem com informática, fazer bem um desporto, desenhar, teatro, dança, aprende rápido, etc…
  • Amizades (facilidade em fazer amigos, os amigos confiam em ti, etc…)
  • Experiência (cristã, ou de vida, se passaste por alguma doença, ou trauma, isso pode servir para ajudar outros)
  • Conhecimento (escola, outra língua emigrante)
  • Dinheiro (quem tem claro seja pouco seja muito)
  • Saúde
  • Etc…

Cada um pode acrescentar essa lista naquilo que entender.

Pelo menos 4 coisas que todos nós temos:

  • Tempo (24h por dia)
  • Amizades (muitas ou poucas todos temos pelo menos um amigo)
  • Experiência (seja pouca ou muita tens a que tens)
  • Conhecimento (seja pouco ou muito tens o que tens)

Devemos usar os recursos que temos para a Glória de Deus.

Podes até dizer que tens poucas capacidades mas não está em causa isso. O que está em causa é que mesmo poucas, as que tens, pergunto se as tens usado para o bem de Deus?

Isso sim é ser fiel. O servo dos 5 talentos usou o que tinha para duplicar e beneficiar o seu patrão. A mesma coisa aconteceu com o que recebeu 2 talentos.

Mas o que aconteceu com o que recebeu 1 talento? Não lhe era exigido mais do que aquilo que era a sua capacidade, mas nem isso ele se deu ao trabalho de fazer.

Coisas que nos impedem de fazer render as nossas capacidades?

  • Troca de prioridades e logo falta de tempo porque gerimos mal o tempo que temos. (Quanto tempo passas de volta de uma consola? Quanto tempo passas em frente à TV? Etc…) LER Mateus 6:33
  • Preguiça de evoluir, de estudar… LER Provérbios 6:6-11
  • Medo de errar – II Coríntios 3:4-6

Terminar lendo Tiago 4:17 – Se tu sabes que deves fazer alguma coisa de bem mas não o fazes, com isso estás a pecar.

 

Parábola do Semeador que se encontra em Marcos 4:1-9 e Mateus 13:18-23

Mas para melhor compreendermos vamos ver um vídeo sobre esta parábola…

Vertente evangelística: Eu sou o semeador e semeio o evangelho no coração daqueles que ainda não conhecem Jesus, perceber que existem vários tipos de coração.

  • Quem dá o crescimento? I Coríntios 3:6
  • Quem convence do pecado? João 16:8

 

Vertente de ensino/aprendizagem: Quem prega a palavra de Deus é o Semeador que semeia a palavra de Deus nos nossos corações…          Que tipo de coração é o meu?

LER Tiago 1:22 – fruto da semeadura no meu coração.

 

CONCLUSÃO

Na última noite falei do texto de Romanos 6:10-11

Morrer para o pecado e viver para Deus.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: