Publicado por: absesimbra | 8 de Março de 2016

Pregação 06.03.2016 Provas “Sabemos que somos cristãos porque…”

Vamos avançar hoje para as provas 8 e 9, serão 12 e falta-nos pouco para chegarmos ao fim.

Prova 8: Sabemos que somos cristãos porque professamos que Cristo é Deus e o consideramos em mais alta estima

LER I João 2:22–24; 4:1–3, 13–15).

Na semana passada falámos de algumas falsas doutrinas que atacam de uma forma clara a divindade de Jesus. Jesus apelou-nos para termos cuidado com os falsos profetas que no vêm desviar da sã doutrina.

João foca isto neste 9 versículo da sua primeira carta. E uma das provas que temos onde podemos saber que somos cristãos é porque professamos que Cristo é Deus.

Se professamos que Cristo é Deus, estamos a concordar com a doutrina da Trindade. Esta doutrina não +é aceite por muitos movimentos de hoje em dia. Como por exemplo os testemunhas de Jeová.

Que nos próximos minutos vou tentar expô-la para aprendermos também a defendermo-nos dos ensinos dos falsos profetas.

Através da Bíblia uma das formas que Deus usa para se revelar ao Homem, está bem patente a existência de apenas um Deus verdadeiro.

Ou seja o Cristianismo é uma crença monoteísta (mono – um; theus – deus). Em diferenciação com algumas outras crenças que são politeístas (poli – muitos; theus – deus).

De acordo com a Bíblia Deus também é o único Deus existente. Nenhum outro ser merece ser chamado de Deus.

Deuteronómio 6:4: “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.”

Deuteronómio 4:39: “Por isso hoje saberás, e refletirás no teu coração, que só o Senhor é Deus em cima no céu, e embaixo na terra, nenhum outro há.”

Isaías 43:10: “Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor, o meu servo a quem escolhi; para que o saibais e me creiais e entendais que sou eu mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum outro haverá.”

Isaías 48:18: “Porque assim diz o Senhor que criou os céus, o único Deus, que formou a terra, que a fez e a estabeleceu; que não a fez para ser um caos, mas para ser habitada: Eu sou o Senhor e não há outro.”

Podemos concluir que existe apenas um deus verdadeiro. O Deus Bíblico.

(É importante entender que a palavra um tem origem, na palavra hebraica echad, que geralmente se refere a uma unidade de mais de uma pessoa. Por exemplo em Génesis 2:24 nós lemos “… serão ambos (i.e. homem e mulher) uma só carne.” E em Esdras 3:1 “…ajuntou-se o povo, como um só homem.”

Mais propriamente dito é a palavra usada no termo “Um casal…” sabem que um casal são dois, mas são um casal.

Esta verdade tem uma grande importância porque de seguida vamos estudar que o único Deus verdadeiro existe como uma Trindade: Pai, Filho e o Espírito Santo.

A palavra trindade tem origem no termo latino Trinitas, que significa triplicado ou três em um. A Bíblia afirma que o único Deus verdadeiro existe como uma trindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Eles são 3 pessoas distintas que são distinguíveis uns dos outros e ainda dividem a mesma natureza divina ou essência e se relacionam entre si numa comunhão ininterrupta e perfeita.

A palavra Trindade não se encontra na Bíblia, ela foi pela primeira vez usada por um pai ou antepassado da igreja primitiva de nome Tertuliano, a fim de descrever o que a Bíblia ensina sobre a natureza de Deus.

Como cristãos admitimos que a Trindade é um grande mistério e que está além da compreensão humana, mas mesmo assim não podemos nega-la, porque é um ensinamento Bíblico. A mesma Bíblia que declara que Deus é Um, também se refere a três pessoas diferentes como Deus único e verdadeiro.

Como vamos ter a oportunidade de ver nas seguintes passagens:

Deus PAI

Em relação ao Deus Pai é muito mais pacífico, a maioria das religiões Monoteístas aceita a figura de Deus Pai – I Coríntios 8:6; João 6:27; I Pedro 1:2

Os problemas surgem quando associamos Jesus Cristo e o Espírito Santo também ao nome de Deus.

JESUS CRISTO

Romanos 9:5; Hebreus 1:8 (se analisarmos o contexto da passagem verificamos que no verso 1 o autor da carta aos Hebreus está a referir-se a Deus que está a revelar-se ao homem, então próprio Deus aquele que não reparte a sua Glória com Ninguém (Isaías 42:8) está aqui a chamar Deus a Jesus); Colossenses 1:15 (Analisando o contexto sabemos que o Apóstolo Paulo falava acerca de Cristo).

ESPÍRITO SANTO

Atos 5:3-4 (Ananias mentiu ao ES, no verso 4 Pedro diz que Ananias mentiu a Deus);

I Coríntios 3:16 /6:19 – Em 3:16 o crente é chamado templo de Deus; em 6:19 é chamado de templo do ES;

Romanos 8:9 – no mesmo verso o Espírito Santo é associado a Deus Pai e a Jesus Cristo;

Ou seja o Espírito Santo não é apenas a força ativa de Deus, ou algo abstrato, Ele é o próprio Deus.

Esta aprendizagem serve também para podermos debater contra algumas falsas doutrinas que andam por aí (como os TJ) que dizem que o Espírito Santo não é Deus.

O Pai, o Filho e o Espírito Santo são de uma mesma essência divina e vivem em perfeita igualdade e unidade.

Ao mesmo tempo, eles são três pessoas distintas, e não simplesmente uma pessoa que se revela de maneiras distintas em momentos diferentes.

João 1:18 – O Pai é o Deus invisível que nenhum homem viu;

João 1:14 – O Filho é Deus que se fez carne e a perfeita revelação do Pai;

João 14:16-17 e 23 – O Espírito é Deus vivendo nos Cristãos;

 

Em resumo:

Deus é um, não existem Deuses diferentes na Trindade – uma heresia chamada Triteísmo;

Deus é três, existe um Deus que subsiste em três pessoas: o Pai, O Filho e o Espírito Santo;

As três pessoas da Trindade são pessoas reais e distintas, a Trindade não é apenas uma pessoa que veste três máscaras diferentes, ou que se revela em três formas diferentes, uma heresia chamada Modalismo;

As três pessoas da Trindade são perfeitamente iguais, o Filho não é menos do que o Pai, nem o Espírito menor que o Filho;

As três pessoas da Trindade podem se manifestar de maneiras diferentes e podem exercer funções diferentes. Nenhum homem viu a Deus; o Filho se fez carne e habitou entre os homens; o Espírito habita com cada crente em Cristo;

Apesar de a Trindade ser de difícil compreensão ela está presente na revelação de Deus. É a forma como Deus é.

Deus é Único e Verdadeiro e Ele subsiste em três pessoas distintas que são distinguíveis uns dos outros e têm a mesma natureza ou essência divina e relacionam-se entre si numa comunhão ininterrupta e perfeita.

Ser cristão verdadeiro é crer nisto com todo o nosso coração!

 

Prova 9: Sabemos que somos cristãos porque nossa vida é marcada por anseio e busca prática de santidade pessoal

LER I João 3:1-3

Anseio e busca prática de santidade pessoal.

Definição de santidade

Santidade é a qualidade ou característica de quem pode ser considerado santo, dotado de virtudes, inocência, piedade e pureza. A santificação é o processo de tornar algo ou alguém santo, ou seja, que possui santidade. Trata-se da separação e renúncia daquilo que é impuro, mau e profano, dedicando-se a uma vida de devoção e consagração total a Deus.

Para os cristãos, viver uma vida de santidade ao Senhor significa abdicar de praticas consideradas abomináveis diante de Deus, comprometendo-se com tudo aquilo que é da natureza de Deus, no sentido de ser honesto, limpo, louvável, correto, benigno e etc.

A palavra Santo vem do hebraico – Kadosh. É também a expressão utilizada para designar o nome de DeusKadosh significa algo sagrado algo que é separado do pecado.

É importante perceber que a Santidade de Deus é intrínseca ou inerente (isto é do interior, essencial, parte da sua natureza).

A Santidade não é algo que Deus decide fazer, ou ser, mas é essencial à Sua natureza – Ele é Santo.

Ler: Isaías 6:3 e Apocalipse 4:8

Nenhum outro atributo divino é proclamado com tamanha ênfase. Nunca lemos nas Escrituras que Deus é “amor, amor, amor” ou “misericordioso, misericordioso, misericordioso”, mas lemos que Ele é “Santo, santo, santo”.

A nossa resposta à Santidade de Deus.

Como vimos Deus é Santo, santo, santo! Embora tenhamos pecado contra Ele e feito a nós mesmos uma abominação diante Dele, Ele reconciliou para si mesmo todos os que creem Nele, através da morte do seu próprio Filho.

Depois de ter providenciado a nossa Salvação, Ele nos chamou para sermos o seu povo especial sobre a Terra. Sermos santos tal como Ele é Santo.

Como devemos então viver diante de um Deus Santo?

  1. Devemos viver diante de Deus com reverência e piedoso temor;
  2. Devemos viver diante de Deus em adoração, alegria e ação de graças;
  3. Devemos viver diante de Deus afastados do pecado e em obediência;
  4. Devemos viver diante de Deus com integridade;

CONCLUSÃO

Como cristãos, Deus nos separou do restante dos povos da terra para sermos seus. Devemos responder, separando-nos de tudo aquilo que O desagrada e doando-nos a Ele em adoração e serviço.

Deus nos santificou (i.e. Separou) para sermos Seu povo especial. Devemos santificar ao Senhor (i.e. Tratá-lo de modo especial, honrá-lo) guardando os seus mandamentos. Desobedecer aos seus mandamentos é profanar o seu nome, ou seja trata-lo como alguém comum ou sem importância na nossa vida.

Qual a importância que Deus tem na sua vida? (Para pensar). Temos novamente de fazer uma avaliação das nossas vidas.

As 12 provas ajudam-nos a isso!

 

 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: