Publicado por: absesimbra | 28 de Março de 2016

Aleluia Jesus Vivo está!

Pregação culto de Páscoa 27.03.2016

Na Páscoa celebra-se a Morte e Ressurreição de Cristo.

Este domingo abordaremos um assunto muito controverso, que é a ressurreição de Jesus Cristo.

Porquê no séc. XXI acreditar em algo que dizem ter acontecido há mais de 200 anos atrás?

Nunca se questionaram da quantidade de pessoas ou entidades que nos dias de hoje negam a ressurreição de Jesus? Como pode alguém ter morrido, permanecer 3 dias morto e depois voltar a viver?

Mas esta verdade, irmãos é central na nossa fé. LER I Coríntios 15:14

Há quem diga que a ressurreição de Jesus não passa de um mito, tale qual como outros mitos que existem (Pai natal, coelhinho da páscoa, unicórnios ou extraterrestres…) Ou então é como uma daquelas histórias dos antepassados gregos ou egípcios, em que nessas histórias os deuses morriam e voltavam a viver…

Mas então qual é a final a diferença entre a ressurreição de Cristo e esses contos de fadas?

É preciso afirmarmos que a nossa crença na ressurreição de Cristo é racional e está baseada em factos históricos.

Mas que factos são esses? Estes factos e esta manhã vamos falar de 5, convém afirmar que são suportados por evidências históricas e que até os cientistas ou historiadores ateus concordam com eles. Mas nem sempre quando alguém que não concorda com a ressurreição de Jesus os cita ou os explora.

O 1º facto é – Jesus realmente morreu crucificado como está patente em Lucas 23:46. Alguém só pode ressuscitar se realmente tiver morrido. Algumas pessoas que argumentam contra a ressurreição de Jesus afirmam que Ele nunca morreu, por isso a ressurreição é uma farsa. Existem por vezes situações em que alguém perde os sentidos por vários minutos, mas isso não é morrer…

Mas o facto de que Jesus realmente morreu é algo comprovado pela história da humanidade. Jesus realmente existiu e realmente morreu numa cruz.

O 2º facto é – os seus discípulos estavam convencidos que Jesus ressuscitou dos mortos e lhes apareceu corporalmente.

O 3º facto é – Paulo um respeitado líder judeu e um grande inimigo dos primeiros cristãos, subitamente torna-se cristão. Paulo está envolvido na primeira morte pública de um cristão primitivo Estevão lá descrito em Actos 7:58, mas mais tarde em Actos 9:18-22.

O 4º facto é – Tiago o irmão descrente de Jesus que lá em João 7:5 é relatado que nem mesmo os seus irmãos criam em Jesus onde Tiago era um destes, também se tornou cristão e posterior Apóstolo, isto porque Jesus lhe apareceu corporalmente como está descrito em I Coríntios 15:7 depois de ter ressuscitado;

O 5º Facto é – que o túmulo onde o corpo de Jesus foi colocado encontrava-se vazio, ou seja o corpo de Cristo nunca foi encontrado nem naqueles primeiros anos após o anúncio da sua ressurreição nem sequer nos séculos e milénios seguintes;

Mas contra estes factos e argumentos existem teorias que tentam descredibilizar a ressurreição de Jesus.

Uma das teorias chama-se de teoria da conspiração.

Esta teoria assenta no argumento de que a suposta ressurreição de Jesus foi uma grande farsa, que os seus discípulos roubaram o corpo do túmulo e esconderam-no e começaram então a dizer que Jesus tinha ressuscitado.

Mas o problema desta teoria é que ela não assenta em factos credíveis.

Como é que poucos pescadores pobres, sem recursos, temendo pelas suas próprias vidas superaram um bando de soldados romanos bem armados, rolaram uma pedra de 2 toneladas roubaram um corpo e esconderam de uma cidade inteira que estava tentando achar esse corpo?

E porque é que eles fariam isso? Os discípulos não tinham nada a ganhar mentindo acerca da ressurreição de Jesus.

De facto eles foram perseguidos e temos boas evidências históricas de que 5 deles foram martirizados por afirmarem que Jesus efetivamente teria ressuscitado dos mortos. E aparentemente ao serem torturados nenhum deles voltou atrás nas suas afirmações.

As pessoas não morrem voluntariamente por algo que sabem que é uma mentira. Os discípulos estavam lá, viram Jesus morrer na cruz, e eles estavam lá e viram Jesus novamente vivo e sabiam que a ressurreição era verdade.

Podemos nos perguntar, porque é que o irmão de Jesus, Tiago que durante o seu ministério foi sempre descrente em Jesus, passa a crer depois da morte do seu irmão, se não pelo facto de ele ter visto com os seus próprios olhos que Jesus realmente ressuscitou?

E Paulo igualmente, um homem que até ali sempre tinha perseguido até à morte os cristãos, depois de ter um encontro com Cristo ressurreto converte-se ao cristianismo e torna-se uma das peças fundamentais do espalhar do evangelho. Como pode isto ter acontecido se não o facto de Paulo ter visto realmente Jesus ressurreto. Quem passa voluntariamente de perseguidor para perseguido a não ser pela verdade?

Assim a teoria da conspiração cai por terra.

Mas existem outras teorias que tentam deitar por terra este facto tão importante para a nossa fé.

Outra chama-se a teoria da alucinação.

Mas também esta teoria assenta sobre argumentos falaciosos que não correspondem à verdade, não consegue explicar bem os factos históricos.

Em I Coríntios 15:1-8 está patente que Jesus foi visto por mais de 500 pessoas ao mesmo tempo, e em João 20:27 está descrito que os discípulos de Jesus tocaram-No depois de Ele ter ressuscitado.

Ora os psiquiatras e os psicólogos já provaram que as alucinações não funcionam assim. As alucinações são tidas por pessoas individuais e não por multidões. E esta teoria também não explica o facto de o túmulo estar vazio.

Cai por terra também esta teoria.

Ok, talvez existam outras teorias ou explicações mas um grande argumento que quem não crê na ressurreição dá, é que as pessoas permanecem mortas e não voltam a viver, ressuscitar dos mortos seria um evento sobrenatural ou seja um milagre, e os cientistas provaram que os milagres não existem.

Mas quando é que a ciência disse isso? É efetivamente esta a ideia que temos, mas nunca sabemos afirmar quando é que essa ideia foi dita pelo mundo científico, achamos que ouvimos isso em algum lado, mas na verdade é que a ciência nunca refutou os milagres, e isso seria impossível de refutar. Mas porquê?

Irmãos a ciência trata exclusivamente com fenómenos naturais, e assuntos ou processos físicos. Um milagre por definição não é um evento natural, é algo sobrenatural, logo um evento sobrenatural está ou estaria fora dos limites de estudo da ciência.

É logicamente impossível (e a ciência usa muito a lógica) a ciência descartar qualquer hipótese que está fora dos seus limites.

Agora temo-nos de nos perguntar o porque nunca ouvimos estes factos e estas explicações?

Não sabemos! Talvez porque seja perturbador pensar bem que Jesus realmente ressuscitou. Porque isso tem muitas implicações.

Enquanto a ressurreição de Jesus for apenas tida ou encarada como uma historiazinha de encantar ou um conto de fadas isso não afeta o meu mundo real.

Mas se realmente Jesus ressuscitou dos mortos isso é formidável. É uma total mudança. É por isso que é tão difícil pensar nisto objetivamente.

Porque pensando nestes argumentos e chegarmos á conclusão de que realmente Jesus está vivo, toda a Sua obra tem de ter um impacto na nossa vida e não podemos estar indiferentes à sua vida, aos seus ensinamentos, à sua morte e ao Seu evangelho. Todos estes factos passam a ter implicações diretas para a minha vida.

Implicações diretas da Sua vida, vivida em favor dos fracos e dos humildes cumprindo com o chamado e objetivo do Seu Pai;

Implicações diretas do seu ensino, amar a Deus acima de tudo e ao próximo como a nós mesmos;

Implicações diretas da sua morte, que serviu para o nosso resgate e salvação do salário do pecado que é a morte, e uma vez afastados de Deus por causa do nosso erro podemos nos chegar-nos a Deus por causa do evangelho concretizado pela morte de Jesus, e compreendendo isso vou levar uma vida que agrade Deus, afastando-me do pecado;

Implicações diretas da sua ressurreição que nos dá a certeza de que Ele venceu a morte e de que está vivo, adoramos e temos como Senhor um deus que está vivo por isso podemos confiar de que Ele está connosco e confiar nas suas promessas;

E implicações diretas na Sua promessa de que Ele um dia voltará para julgar o mundo e para levar os que são Dele.

Crer na ressurreição de Jesus tem muitas implicações, por isso seja por vezes mais fácil não acreditar nisso, seja mais conveniente mentir ou suportar com argumentos falsos mentiras que não nos deem a consciência de que existe um Deus que é verdadeiro e único.

Irmãos saibamos argumentar em favor da ressurreição de Jesus, e vivamos isso na prática do nosso dia-a-dia com todas as implicações que isso traz às nossas vidas. E uma delas é celebrarmos o facto de o nosso salvador estar vivo. Isso é motivo de grande alegria. Então alegremo-nos!

 

 

 

 

 

 

 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: