Publicado por: absesimbra | 30 de Janeiro de 2020

Compaixão pelos perdidos AB Sesimbra 26.01.2020

A semana passada falámos sobre evangelização. E tentámos ver o que nos está a impedir de desenvolver uma vida de evangelização. No fundo o que o está a impedir de obedecer a Deus?

Ainda esta semana a pensar sobre este assunto, pensei que algo que nos pode estar a falhar é a falta de compaixão que temos pelas pessoas perdidas espiritualmente.

Como se pode definir compaixão?

Compaixão é um sentimento que se caracteriza pela piedade e empatia em relação à tristeza alheia. A compaixão desperta a vontade de ajudar o próximo a ajudá-lo a superar os seus problemas, consolando e dando suporte emocional.

Uma pessoa que tem compaixão do próximo é aquela que consegue compreender o estado emocional alheio e ter dó da sua condição, desejando que esta consiga superar ou aliviar o seu sofrimento e trabalhando com ela para essa superação. Por exemplo, se alguém sente tristeza por presenciar a miséria ou infelicidade de outro indivíduo, esta empatia pode ser entendida como compaixão.

Diferentemente do simples sentimento de empatia, a compaixão foca-se no desejo da pessoa de aliviar o sofrimento da outra pessoa. Nestes casos, por exemplo, são comuns os atos altruístas.

Alguns dos principais sinônimos de compaixão são: pena; compaixão; dó; misericórdia; compadecimento; comiseração; condolência; pêsame; pesar; lástima; sensibilidade; miseração e clemência.

Etimologicamente, a palavra compaixão se originou a partir do latim compassionis, que significa “sentimento comum” ou “união de sentimentos”.

Gostava agora de partilhar uma história convosco: (Ler o prefácio do livro “Porque Deus desceu a escada” de Hugo Pinto.

Algumas perguntas sobre esta história?

  • Quem pode representar o homem no buraco?
  • O que pode representar o buraco?
  • Quem das personagens apresentadas teve verdadeira compaixão do homem caído no buraco?
  • Quantas atitudes já tivemos com a miséria alheia iguais às personagens da história?

Ter compaixão é ter a atitude de Jesus e descer “ao buraco”.

Ler Filipenses 2:6-8

“Embora Ele fosse Deus na sua natureza real, Ele não pensou que ser igual a Deus era algo para utilizar para o seu próprio benefício. Pelo contrário, Ele abandonou tudo o que tinha e assumiu a forma de servo, tornando-se igual aos homens. E, quando Ele apareceu em forma de homem, Ele se humilhou, tornando-se obediente até o ponto de estar disposto a enfrentar a morte, e morte de cruz.”

Este é o maior exemplo de compaixão que temos. O exemplo de Jesus.

E é algo que está inerente à história do Evangelho. Deus na pessoa de Jesus se tornou como um de nós para nos salvar do pecado. Porquê? Porque teve compaixão de nós.

Uma outra história de compaixão que conhecemos é a parábola do Bom Samaritano descrita em Lucas 10:25-37. Já conhecemos bem esta história. Mas vamos lê-la novamente. (LER)

Abordar esta parábola em termos espirituais.

Temos um outro grande exemplo de compaixão pelos perdidos descrito em LER Romanos 9:1-3

Podemos nós dizer isto que o Apóstolo Paulo diz?

Que peçamos a Deus que Ele nos dê a mesma compaixão que Ele teve e tem para com a miséria alheia, mais especificamente a nossa miséria.

 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: