Publicado por: absesimbra | 15 de Maio de 2019

Pregação Domingo 12 Maio 2019

Anúncios
Publicado por: absesimbra | 30 de Abril de 2019

Workshop de Evangelismo Explosivo

W EE Sesimbra (1)

Publicado por: absesimbra | 19 de Abril de 2019

Publicado por: absesimbra | 17 de Março de 2019

Pregação sobre serviço: Discipulado

A semana passada disse que esta semana íamos iniciar uma série de pregações sobre o tema discipulado. Estivemos a falar sobre serviço, e não é que terminamos esse tema, porque podemos sempre abordar o discipulado como serviço ao Senhor, mas eu queria focar o discipulado como algo que tem de começar a ser uma espécie de estilo de vida.

Qual deve ser o nosso objetivo de vida?

Desejar ser mais como Jesus.

O que de uma forma clara Jesus deixou como exemplo no tempo em que esteve cá na terra? E não falo somente em palavras, mas igualmente em vida diária.

DISCIPULADO

Definição: O discipulado cristão é o processo pelo qual os discípulos crescem no Senhor Jesus Cristo e são equipados pelo Espírito Santo, que reside em nossos corações, para superar as pressões e provações desta vida presente e tornar-se cada vez mais semelhantes a Cristo. Para esse processo contam com a ajuda de irmãos mais velhos na fé.

Porquê discipulado?

Porque foi um legado que Jesus nos deixou. E porque é necessário e está acessível a todos. É a forma mais eficaz de todos os que estão em contacto com o Reino dos Céus conhecerem o Evangelho e serem ensinados andar dentro da vontade de Deus.

Se analisarmos Mateus 9:36-38 verificamos que há realmente muito trabalho para fazer e o discipulado é algo que está ao alcance de todos para todos realizado por todos.  – Temos de meter mãos á obra…

Se nem todos podem pregar, se nem todos podem ser líderes etc… O discipulado é algo em que todos nós podemos servir.

Por vezes o que nos limita o avançar esse processo é a escolha do discípulo? Com quem começar? Foi aí que fui à Bíblia e perceber como é que Jesus o fez.

Como se processa então a escolha de um discípulo?

Exemplo de Jesus: Lucas 6:12-13

Jesus orou!

Desafio que possas orar durante um tempo sobre quem Deus quer que tu inicies um discipulado. Acompanhares alguém no seu crescimento espiritual. Pode até ser alguém que ainda não conhece Deus, mas que começas pela evangelização e depois continuas a passar vivência cristã. Deus vai mostrar-te.

Orar é o caminho, por outro lado existem já evidências claras de com quem deves iniciar esse acompanhamento.

A semana passada falámos de Timóteo e da influência que a família teve na sua caminhada Cristã. Vamos abrir em II Timóteo 1:1-5 – O que lemos aqui?

A herança familiar a funcionar como discipulado. Ou seja, o irmão até pode orar para escolher um discípulo, mas se tem relacionamento diário com filhos, netos, sobrinhos, etc… já tem aí a sua reposta.

É da sua responsabilidade direta poder passar ensino/vivência de Cristo a esses que lidam diariamente consigo, que pelos laços familiares o têm respeito e em consideração.

Timóteo veio a ser alguém importante na igreja primitiva, mas qual o papel da sua avó Loide? E qual o papel da sua mãe Eunice? Elas viviam uma fé sem fingimento, ou seja, eram autênticas no seu relacionamento com Cristo e educaram Timóteo nesse caminho, até que Timóteo nunca mais se desviou dele.

Provérbios 22:6 – “Ensina ao menino o caminho que deve seguir, e assim, mesmo quando for velho, não se afastará dele.”

 

Outra palavra para ensinar pode ser discipular. Mas ensinar como? Há outra passagem bíblica que foca isto: Deuteronómio 6:4-9

“Escuta, Israel, o Senhor e só ele é o nosso Deus. Ama o Senhor, teu Deus, com todo o coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças. Que os mandamentos que hoje te dou estejam sempre na tua memória. Ensina-os continuamente aos teus filhos e repete-os, tanto ao deitar como ao levantar, quer estejas em casa, quer vás de viagem. Deves trazê-los no teu braço como um distintivo, na tua testa como emblema. Escreve-os nas ombreiras das portas da tua casa e em todos os teus portões.”

Este texto é conhecido dos Israelitas como o “Shema”, que faz parte das suas orações diárias. Este texto também tem de fazer parte das nossas orações diárias, no sentido em que temos de ter isto no coração. De ensinar/discipular as nossas crianças a andarem no caminho do Senhor.

Devemos orar para que Deus nos indique quem em quem devemos investir, mas de uma forma clara nem é preciso consultar Deus no que toca ao discipular as crianças que estão em contacto connosco por terem laços familiares.

Formas práticas de discipular as nossas crianças familiares… (Culto familiar, orar com elas todos os dias, dar o bom exemplo, não faltar ás atividades da igreja, promover amizades cristãs, etc…

1º – Orar todos os dias para que Deus lhe mostre em quem deve investir tempo dum discipulado;

2º – Iniciar um processo de ensinamento com os seus filhos/netos/sobrinhos…

Publicado por: absesimbra | 11 de Março de 2019

Pregação exemplos de homens de Serviço

A semana passada abordámos o tema humildade no servir ao Senhor. E estivemos a estudar a característica de Jesus que nos mostra como devemos nós próprios ser.

Vamos voltar a ler Filipenses 2 (LER)

Nós temos este capítulo dividido em algumas partes:

1-4 – Paulo exorta os filipenses a viverem em humildade

5-11 – Paulo dá o maior exemplo de Humildade (Lectio Divina)

12-18 – Paulo afirma que apesar de ser Cristo a viver assim em humildade, ele diz que essa vivência está ao alcance de todos os filipenses e que isso é para viver no dia-a-dia, ou seja não é algo utópico somente ao alcance de Jesus. Paulo nesta secção mostra aos filipenses as obrigações que o exemplo de Cristo coloca sobre eles. Eles devem andar com os seus próprios pés, com a noção da fragilidade humana, mas, com a certeza de que o deus Todo-poderoso está por detrás deles (V. 13). Deveriam viver de tal modo, em meio, em meio à sociedade corrupta, que a sua vida refletisse a luz que vinha de uma fonte celestial (V.14-15), proclamando constantemente o evangelho da nova vida (V. 16a).

19-30 – Paulo foca agora o exemplo de dois homens bem conhecidos da igreja, para lhes mostrar que a humildade é algo possível de se praticar, e podemos ver isso olhando para o exemplo destes dois homens de Deus, Timóteo e Epafrodito.

É exatamente o exemplo destes dois homens que vamos estudar esta manhã e ver o que podemos retirar da vida deles para a nossa própria vida.

Vamos começar por Epafrodito, apesar de estar em segundo lugar nesta passagem, mas terá uma razão de ser pelo que vamos já ver isso.

Verso 25 é nos apresentado Epafrodito

  • Irmão de Paulo, no sentido que era alguém muito próximo e não irmão de sangue. A Bíblia que há amigo mais chegados que irmãos (Provérbios 18:24)
  • Cooperador e companheiro de lutas
  • Mensageiro da igreja
  • Auxiliador das necessidades de Paulo
  • Digno de honra
  • Adoeceu e quase morreu ao colocar a sua vida ao serviço da igreja e do Apóstolo Paulo.

E agora Timóteo

  • Cuidava dos interesses da igreja de Filipos como ninguém
  • Tinha um carácter provado.

Se o Apostolo Paulo tivesse de ao escrever uma carta fazer um relato de algumas das suas características sobre o seu carácter, sobre a forma como serve ao Senhor e aos irmãos? O que ele escreveria?

Nesse sentido vamos estudar um pouco algumas coisas da vida de Timóteo de forma a introduzirmos um tema que eu entendo ser chave para a nossa igreja e para o reino de Deus. DISCIPULADO.

Para a semana vamos focar a influência direta da família de Timóteo na sua caminhada e crescimento espiritual, olhando para a ação direta da sua avó e mãe. Mas também percebermos que em termos espirituais nós podemos criar laços familiares tão ou mais fortes que os de sangue e com isso passar vivência cristã, ou seja discipulado. Basta olharmos para o verso Filipenses 2:22 e verificamos que como é que Paulo tratava Timóteo? Por filho. Filho de carne? Claro que não, mas sim filho espiritual.

Para a semana começamos uma série de pregações sobre reprodução espiritual.

Assim neste mês de março vamos falar sobre discipulado, igualmente numa vertente de serviço ao Senhor.

Publicado por: absesimbra | 1 de Março de 2019

Humildade no Serviço ao Senhor

Temos estado a tratar de serviço no contexto de igreja local, e pergunto aos presentes já está convencido que a vida que Deus deseja para si é uma vida de serviço? Já? O que fez em relação a isso? Nada? Alguma coisa?

Torna-se imperativo que ao entender qual é a vontade de Deus que façamos algo para na prática a concretizarmos. Se não agirmos em obediência o que acontece? Estamos em desobediência e isso é PECADO.

Posto isto hoje vou novamente falar de serviço ou melhor de uma característica que devemos ter no nosso carácter que é essencial ao serviço que prestamos ao Senhor.

Alguém arrisca a dizer qual é essa característica? HUMILDADE

Sabemos que uma das virtudes da vida cristã é a Humildade. A Bíblia motiva-nos a sermos Humildes

Isso está patente em várias passagens da Bíblia tais como:

  • Mateus 5:3
  • Miqueias 6:8
  • Tiago 4:6-10

Definição de humildade

Humildade é a qualidade de quem age com simplicidade, uma característica das pessoas que sabem assumir as suas responsabilidades, sem arrogância, prepotência ou soberba.

Em teoria, a humildade é tida como uma qualidade bastante positiva e benéfica, onde ninguém é pior ou melhor do que os outros, estando todos no mesmo nível de dignidade, de cordialidade, respeito, simplicidade e honestidade. A humildade é um sentimento de extrema importância, porque faz a pessoa reconhecer suas próprias limitações, com modéstia e ausência de orgulho.

Estudo do capítulo 2 de Filipenses Vamos ler

2:1-4 – Humildade procurando o bem comum. Aplicar ao serviço.

2:5-11 – Exemplo máximo de Humildade – não quero aqui focar a questão teológica, mas sim a atitude de Jesus ao vir à terra. Humildade resultou em exaltação.

Fazer uma pausa em Filipenses e ler Mateus 20:20-28 – o pedido da mulher de Zebedeu… focar o verso 27 e 28.

CONCLUSÃO

 

 

Como desenvolver a humildade

Uma vez que a humildade é obviamente essencial à nossa vida com Deus, devemos estar preocupados em acrescentar esta qualidade às nossas vidas. Aqui estão umas poucas sugestões simples que nos podem ajudar:

  1. Devemos procurar o melhor nos outros, e buscar servir os outros como Jesus fez (Romanos 12:10; Efésios 4:2-3; Filipenses 2:3-4).
  2. Não devemos pensar que somos importantes (Lucas 17:10). Cada um deve usar sua capacidade, porém não devemos pensar que somos melhores do que outros (Romanos 12:3-8).
  3. Não devemos esperar que outros nos humilhem. A chave da obediência é nossa humildade voluntária (Tiago 4:10), não a humilhação forçada.
  4. Sempre que estivermos tentados a pensar que somos grandes e importantes, devemos parar para contemplar a grandeza e a majestade de Deus. Comparados com o Criador e Sustentador do Universo, somos débeis e insignificantes. O Salmo 8, especialmente nos versículos 3 e 4, nos faz descer ao nosso tamanho rapidamente!

Da mesma forma que Cristo se humilhou e Deus Pai o exaltou, o texto que já vimos esta manhã da epístola de Tiago 4:10 afirma isso para connosco…

“Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará” (Tiago 4:10).

(Continuação do estudo de Filipenses 2 para a semana)

Vamos estudar o exemplo de dois homens que serviram a igreja de Filipos entre outras

Publicado por: absesimbra | 11 de Fevereiro de 2019

Pregação Serviço na igreja Ministérios (Diáconos)

Na pregação de há 15 dias falámos de “Mordomia” e da responsabilidade que nós temos na gestão dos recursos que Deus nos dá.

A semana passada o Benoit expos a passagem que nos ensina que as nossas ações são comparadas a materiais que vão ser usados na nossa construção e que depois vão ser provados pelo fogo. Vimos que o serviço tem de ser algo que envolve esforço. Isto porque foi usado também o exemplo da Viúva que deu menos do que os ricos, mas deu mais, porque deu tudo o que tinha. E se analisarmos o contexto e da forma como a proteção social existia para com a viúvas verificamos que aquela mulher deu mesmo num grande esforço.

No reino de Deus é dos poucos locais onde o menos é mais e o mais pode ser menos. Porque relaciona-se diretamente com o esforço de cada um, e cada um saberá avaliar o seu próprio esforço naquilo que está a dar e não necessariamente na quantidade do que dá.

Hoje vamos falar de serviço no contexto da igreja local.

Conseguimos perceber que a igreja local é uma instituição organizada no sentido em que existe liderança instituída.

Liderança da igreja local – Exemplo da igreja primitiva – Atos 2:42 – Apóstolos – aqueles que lideraram a igreja no inicio porque foram comissionados por Cristo para espalhar a palavra.

Este exemplo da igreja primitiva torna-se Padrão para a igreja local – Efésios 4:11-16 – Aqui são apresentados mais líderes, que de uma forma direta se relacionam com os dons e capacidades de liderança no contexto de igreja.

Quais as funções que vemos na liderança da igreja: verso 12

E o restante serviço no contexto da igreja local? Vamos analisar Atos 6:1-7

Esta passagem Bíblica é tida como a primeira no contexto do Novo testamento e da vida de igreja organizada que foca aquilo que é o serviço fora das funções espirituais, conforme citado no verso 2.

Quais são as funções principais aqui apresentadas como sendo função da liderança da igreja? Estudo da palavra de Deus. E no verso 4? Oração e ministério da palavra, ou seja, ensino.

Seria necessário, outros elementos da igreja ficarem responsáveis pelo serviço prático naquele caso concreto servir a comida ás viúvas diariamente. E com isso dar mais tempo aos Apóstolos para se prepararem para ensinar a doutrina e orarem pelas pessoas da igreja.

Agora é somente isto o que os líderes faziam? Penso que não, mas uma coisa é certa e não pode acontecer, é quando um líder de igreja local no nosso caso pastor, não tem tempo para se preparar adequadamente naquilo que é a sua função primordial e bíblica porque está ocupado a fazer tarefas práticas.

Que pessoas deveriam servir nestas áreas práticas? Não pessoas quaisquer, mas de acordo com o verso 3 de boa reputação e cheios do espirito santo e sabedoria.  Pessoas que de alguma forma já provaram que têm estas caraterísticas.

Aqui neste contexto é usada a palavra Diákonos = Servo, auxiliar que é originária da palavra Diákonia = Ministério, ou serviço na igreja local.

Diácono é aquele que como servo executa o serviço.

O que a Bíblia fala sobre Diáconos?  Existem orientações especificas para os Diáconos.

Vamos analisar a passagem Bíblica de I Timóteo 3:8-16

Exemplo de Diaconisas – Romanos 16:1

Agora que serviços práticos conhece no contexto da igreja local?

 

Assim como direção estamos a organizar estas áreas práticas de serviço.

Publicado por: absesimbra | 24 de Janeiro de 2019

Pregação – Promessas de Deus

Antigamente bastava a palavra de alguém para se celebrar um contrato ou um acordo, e ambas as partes sabiam que seria cumprido. Nos dias que correm precisamos de colocar tudo no papel pois o facto de utilizarmos uma promessa verbal já não chega para confiarmos na realização da mesma por parte de quem a realizou. Para algumas pessoas a questão da honra ainda as leva a cumprir com a sua palavra, mas para outras sabemos que já não funciona assim.

Em Génesis 18:9-15 (Ler) nós verificamos que Abraão e Sara são visitados pelo próprio Deus e por dois anjos, onde nesse encontro o tema principal da conversa é a concretização da promessa que Deus fez a Abraão descrita em Génesis 12:1-2 (Ler), a promessa de que ele seria o pai de uma grande Nação, de que através dele iria nascer um numeroso povo, tão numeroso quanto as estrelas do céu e como a areia da praia.

Ora Sara quando ouve um dos anjos afirmar que Deus ainda iria fazer nascer dela um descendente de Abraão e que através desse descendente Abraão iria ser o pai de uma grande nação, riu-se no seu íntimo. O facto de Sara ter-se rido leva-nos a pensar, realmente naquilo que o anjo estava a afirmar, e ao pensar nessa afirmação remete-nos para 3 argumentos entendidos apenas na esfera humana, contra a realização da promessa de Deus, que são:

  • Desde que a promessa tinha sido feita já se tinham passado 24 anos. Quando a promessa foi feita a Abraão (Génesis 12:1-2) ele tinha 75 anos e Sara tinha 64 (ver Génesis 12:4);
  • Abraão tinha neste momento (momento que é descrito em Génesis 18:9-15) 99 anos e Sara tinha 90 anos, ou seja, uma idade bastante avançada para ter filhos;
  • E o texto Bíblico em Génesis 18:11 diz que Sara já não tinha o costume das mulheres, ou seja, provavelmente Sara já não tinha menstruação, já estaria na menopausa, o que a impossibilitava naturalmente de dar à luz;

Se basearmos a realização da promessa de Deus apenas nestes 3 factos e observados na esfera humana, conseguimos entender o porquê do riso de Sara. Assim devido a estas circunstâncias, tanto Abraão com Sara duvidaram da capacidade de Deus em cumprir com a sua promessa. Uma das evidências dessa dúvida está descrita em Génesis 16, onde podemos ler a forma que o casal arranjou para “ajudar Deus” na realização da promessa feita a Abraão. (Génesis 16:1-4 Ler)

Abraão peca, comete adultério, influenciado pela sua esposa, para “ajudar Deus” no cumprimento da sua promessa. Abraão e Sara duvidaram de que Deus seria capaz de sozinho cumprir o que prometera 10 anos antes a Abraão. Daí o nascimento de Ismael, o filho feito por Abraão a Agar, a serva egípcia que foi cedida por Sara, ter dado origem a vários povos que trouxeram muitos problemas ao povo escolhido de Deus, o povo de Israel. Existem até alguns estudiosos que afirmam que o povo islâmico descende de Ismael, e todos sabemos o quantas dificuldades esse povo tem trazido à igreja de Jesus Cristo, ou seja, na tentativa de fazerem o trabalho de Deus Abraão e Sara apenas complicaram as coisas.

Este por vezes também é o nosso mal, sabemos quais são as promessas de Deus para nós, para a sua igreja, mas devido às circunstâncias, duvidamos e fazemos as coisas à nossa maneira, camuflando os nossos erros com a justificação de que Deus prometeu!

De facto Deus prometeu um descendente a Abraão e de acordo com as evidências (o facto de Sara ser avançada em idade e de não conseguir engravidar) parecia ser difícil que fosse através de um filho da sua mulher Sara, mas Deus tinha prometido, Abraão só teria de confiar.

Por fim o anjo em Génesis 18:14 – afirma:

“Acaso para Deus há coisa demasiadamente difícil?”

Que afirmação tão profunda e tão rica. Desafio-vos a decorarem este verso bíblico, para que quando enfrentarmos uma situação complicada e que existe uma promessa de Deus para essa situação, a possamos citar e interiorizá-la para que através dela possamos entender que para deus NÃO EXISTEM IMPOSSÍVEIS! Mateus 19:26: “E Jesus fitando o olhar neles, lhes disse: Isso para o homem é impossível, mas para Deus tudo é possível!”

Deus cumpre as suas promessas

Queria finalizar com a passagem que lemos no inicio do culto Isaías 40:25-31

Publicado por: absesimbra | 8 de Janeiro de 2019

Pregação “Esperança para o novo ano” 06Jan19

Mais um ano se passou e por vezes as mudanças de ciclos trazem receios em relação ao futuro. Como irá ser este novo ano? Que desafios trará? De certa forma isso traz-nos ansiedade.  É correto dizer que Deus entende a ansiedade, quando lemos na Bíblia que ela abate o coração (Provérbios 12:25).

“A preocupação deprime o coração do homem, (…)”

 

Ao enfrentar a ansiedade, sentimo-nos abatidos. Tudo parece pesado, opressivo, incompreensível e incontrolável. Essa é uma descrição precisa de como é viver sem um relacionamento com Deus. Nós não somos todo-poderosos. Não somos omniscientes. Sem Deus, a nossa vida é assustadora e fora de controle, pois vivemos num mundo no qual coisas más podem acontecer — e efetivamente acontecem.

Felizmente, Deus projetou a cura perfeita para a ansiedade.  O texto de Provérbios 12:25 tem uma segunda parte que compõe essa cura:

“(…) mas uma boa palavra dá-lhe alegria.”

Que boa palavra e esta? Palavra de Esperança. O que significa Esperança: Esperança é o substantivo feminino que indica o ato de esperar alguma coisa, pode ser também um sinônimo de confiança. Ter esperança é acreditar que alguma coisa muito desejada vai acontecer.

E nós temos em Cristo a verdadeira Esperança, temos um lugar seguro para onde devemos trazer os nossos medos e preocupações. Cristo pagou pelos pecados que nos separavam de Deus e tornou possível aquilo que está descrito em Hebreus 4:16.

“Aproximemo-nos, pois, com toda a confiança, do trono da graça e assim conseguiremos alcançar misericórdia e graça e encontrar ajuda no momento próprio.”

No tempo próprio Deus nos ajudará. Quando confia em Jesus para receber perdão, torna-se um filho muito amado de Deus (Efésios 5:1).

“Sigam, portanto, o exemplo de Deus, uma vez que são seus filhos queridos.”

Agora, todas as promessas na Bíblia sobre como Deus cuida dos seus filhos são promessas para si. O mundo ainda pode ser um lugar assustador, mas, quando reconhecemos Deus como nosso Pai celestial e Jesus como nosso Salvador, podemos ter a certeza de que, custe o que custar, seremos capazes de ir a Deus para obter consolo, ajuda e proteção, e Ele jamais nos abandonará.

Com frequência, quando o medo se transforma em ansiedade, chegamos à falsa conclusão de que Deus, ou não é bom o suficiente, ou então não é poderoso o bastante para impedir que algo que nos vai magoar aconteça. Em muitas situações, quando estamos ansiosos, é porque decidimos confiar mais em nós mesmos do que confiar somente em Deus. Por fim, esses pensamentos idealizam Deus como alguém que está dissociado da nossa realidade e não trabalha para o nosso bem. Mas conhecer Jesus como Salvador liga-nos a Deus no meio dos nossos medos. A cruz de Cristo prova que Deus é todo-amoroso. Ele deu a vida por nós. A ressurreição mostra que Deus é Todo-poderoso — Ele derrotou a morte. Assim quando nos sentirmos ansiosos e com medo, em vez de tentarmos lutar contra os pensamentos temerosos sozinhos, voltemo-nos para Jesus. Aí descobrirá que Ele é completamente confiável.

O apóstolo Pedro disse aos cristãos que estavam a enfrentar sofrimento para lançar sobre Deus toda a ansiedade, porque Deus estava a cuidar deles (1Pedro 5:7).

“Confiem-lhe todos os vossos problemas, porque ele se preocupa convosco.”

Se procurarmos por toda a Bíblia, Deus dá-nos ilustrações para descrever como Ele cuida daqueles que Lhe pertencem. De acordo com o Salmo 91 (LER) Deus é o nosso refúgio e fortaleza, salvando-nos dos nossos inimigos, abrigando-nos debaixo das suas asas e nos ajudando a não temer, já que ele está connosco quando clamamos por Ele.

Hebreus 7:25 diz que Deus é capaz de salvar aqueles que se chegam a Ele.

“É por isso que ele pode salvar definitivamente todos quantos se aproximam de Deus por meio dele. É que ele está sempre vivo para interceder a favor deles.”

Em Isaías 40:11, aprendemos que Deus cuida de nós como um pastor amoroso, recolhendo-nos nos Seus braços, levando-nos junto ao peito e guiando-nos mansamente.

“Ele é como um pastor que apascenta o seu rebanho e o reúne com o cajado na mão. Leva os cordeiros ao colo e cuida das ovelhas que têm crias.”

 

Mesmo no vale da sombra da morte, não temeremos mal nenhum, porque Deus está connosco conforme testemunhou David no Salmo 23. (LER). Deus realmente se importa com os seus filhos!

Parece que por vezes, não somente tememos que Deus não cuide de nós ou não tenha interesse no melhor para nós, como também temos medo de que Ele não seja grande e poderoso o bastante para intervir. Isaías 40:25-31 (LER) usa uma bela linguagem para nos ajudar a entender quão maior do que nós é Deus, descrevendo-o como aquele que tem o mundo em suas mãos, chamando as estrelas pelo nome e dando força ao fraco. Na próxima vez que estiver amedrontado e preocupado, vá lá fora e olhe para as estrelas. Lembre-se de que o Deus que criou as estrelas e sabe o nome delas cuida de você.

A maior cura para a ansiedade é aprender a confiar nesse Deus, que é bom o bastante para se importar com o seu medo mais complexo, e também grande o bastante para libertá-lo de qualquer mal que possa vir a magoá-lo. Isso não significa que nunca acontecerão coisas más connosco. No entanto, em Jesus Cristo, Deus cuidou do nosso maior e mais real perigo: a separação Dele (Romanos 6:23), e Ele também redimiu o nosso sofrimento. Mesmo quando lutamos com medo e ansiedade, lembremo-nos de que Deus está connosco.

A próxima vez que estiver com muito medo, em vez de tentar entender tudo ou tentar lidar com seus medos por conta própria, volte-se para o Deus que se importa consigo e peça a ajuda Dele. Finalizar com o texto de Romanos 15:13 que estes possam ser os nossos votos para 2019.

Publicado por: absesimbra | 28 de Dezembro de 2018

FELIZ ANO NOVO 2019

Sem Título

Older Posts »

Categorias