Publicado por: absesimbra | 24 de Junho de 2020

Publicado por: absesimbra | 19 de Junho de 2020

Publicado por: absesimbra | 18 de Junho de 2020

Publicado por: absesimbra | 3 de Junho de 2020

Publicado por: absesimbra | 24 de Maio de 2020

O mais importante é o amor!

Publicado por: absesimbra | 29 de Abril de 2020

Publicado por: absesimbra | 23 de Abril de 2020

Publicado por: absesimbra | 17 de Abril de 2020

Publicado por: absesimbra | 2 de Abril de 2020

Pregação Salmo 91 AB Sesimbra 29/03/2020

A semana passada abordámos um texto em Habacuque que nos dizia que a nossa confiança em Deus não pode depender das circunstâncias, e igualmente num outro verso que o justo viveria pela fé. Ora fé em Deus. E agora mais que nunca precisamos de fé. Continuamos em isolamento social, e este é o terceiro culto que fazemos nessas condições. Continuemos firmes que depois da tempestade virá a bonança. Por isso neste dia queria convosco meditar num Salmo que muito tem sido usado nestes dias. Usado de forma correta, a fim de nos dar força para continuar, mas por vezes é também mal interpretado e por isso usado de forma incorreta justificar comportamentos irresponsáveis. Mas vamos juntos ler e analisar o Salmo 91.

Primeiro convém mais uma vez focarmo-nos na pessoa de Deus, e não no que podemos ganhar através de Deus. Adorar quem Deus é e não estar com Ele pelo que Ele nos pode dar. Não é por estarmos a atravessar uma pandemia que nos achegamos a Deus, Ele é o nosso Senhor no meio da adversidade e no meio da prosperidade. Se não for assim, o nosso deus somos nós mesmos, porque temos segundas intenções ao estar com Deus. A nossa fé deve estar firmada não no que Deus pode fazer, mas no que Deus é, nesse sentido olhemos para 4 nomes de Deus que são características do carácter Dele contidas nos versos 1 e 2: “Altíssimo”; “Omnipotente”; “Senhor”; “Deus”;

Analisando o atributo “Altíssimo” – No hebraico “El Elyon” este nome enfatiza a força e a soberania de Deus. Não há nada que seja tão forte quanto Deus, e não há nada que detenha o controle de tudo quanto Deus, controle no sentido em que nada nem nenhum pormenor escapa a Deus e ao seu domínio.

Analisando o atributo “Omnipotente” – No hebraico “El Shaddai”. A palavra “Shaddai” é derivada de uma outra que significa “montanha”, retratando assim Deus como irresistível, cheio de poder. É o mesmo atributo realçado em Génesis 17:1, quando Deus o Todo-Poderoso se apresenta a Abrão e faz uma aliança com ele. É o mesmo atributo realçado em Job 42:2 quando este afirma “Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado.” Deus pode cumprir tudo o que promete.

Analisando o atributo “Senhor” – No hebraico é muito complicado pronunciar-se este atributo porque não tinha vogais. Por ser um nome tão sagrado os judeus não se atreveriam a pronunciá-lo, daí não te vogais. Somente mais tarde fez-se uma espécie de transliteração e no nome hebraico YHWH se acrescentaram vogais e ficou YAHWEH, ou Jeová. Este é o mais significativo nome de Deus no Antigo testamento. Tem um sentido duplo, o Ser ativo e Auto existente, já que esta palavra é relacionada ao verbo “Ser”. É o redentor de Israel. O nome ocorre 6823 vezes no antigo testamento e é especialmente associado à Santidade de Deus, à aversão que Deus tem para com o pecado e à Sua bondosa provisão de redenção.

Analisando o atributo “Deus” – No Hebraico “Elohim”, é um termo genérico para divindade, mas também é utilizado como um nome próprio do verdadeiro Deus. O sentido básico desta palavra é “forte, líder poderoso, deidade suprema. A forma da palavra é plural, indicando plenitude de podere majestade e abrindo espaço para a revelação da Trindade.

Enquanto os versos 1 e 2 nos mostram o caráter de Deus, nos versos 3 a 8 mostram-nos que Deus é suficiente para cuidar de nós.

Cuidar de nós nas situações que fogem do nosso controle. Todas as situações apresentadas são as que fogem do nosso controle. Isto leva-me a crer que aquelas que nós conhecemos os perigos, devemos ser nós próprios, com os recursos que Deus nos deu tais como a inteligência que temos, os recursos materiais também, devemos ser nós a precavermo-nos e a tomar medidas para evitar problemas no futuro. É aliás isso que diz em Provérbios 14:16 – “O sábio teme e desvia-se do mal, mas o tolo é arrogante e dá-se por seguro.” Então não sejamos tolos, e vamos seguir as orientações das autoridades de saúde.

Mas analisando as circunstâncias que o Salmista dá como exemplo para verificarmos a proteção de Deus:

Laço do passarinheiro – Armadilhas… normalmente não sabemos onde estão as armadilhas, se soubéssemos as evitaríamos.

Peste perniciosa – Não sabemos onde anda o vírus, se soubéssemos evitaríamos. Por isso ficamos em casa e tomamos todos estes cuidados.

Terror noturno, e setas de dia, nem da peste das trevas, nem da mortandade de dia – seja em que altura for, noite ou dia, Deus nos protege.

Até ao verso 13 são exclamadas frases que repetem as ideias anteriores, de situações que fogem do nosso controle, mas jamais. E convém nos repetirmos isto, JAMAIS fogem do controle de Deus.

Realçar que no verso 11 o Salmista fala dos anjos, de que Deus dará ordens aos anjos para nos guardarem, efetivamente em Hebreus 1:14 temos a ideia de que os anjos são espíritos ministradores enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação, ou seja, todos os filhos de Deus. Assim este verso do Salmo 91:11, é verdade, os Anjos existem para nos servir e proteger.

Mas o problema é quando exigimos isso de forma presunçosa, como que se fosse um direito nosso, e usamos isso como desculpa para comportamentos suicidas como está explicado em Mateus 4:5-7 na experiência que Jesus teve ao ser tentado por Satanás.

Quando Satanás propõe a Jesus, Ele se atirar do pináculo do templo abaixo, Satanás cita o Salmo 91, Porque aos seus anjos dará ordens para que te guardem. Mas Satanás a usar a Bíblia? A Palavra de Deus? Parece um argumento fiável para que Jesus saltasse, pois era verdade! Mas Jesus não salta… Jesus sabia que aquela citação da Bíblia feita por Satanás era para levar Jesus a obedece-lo e a fazê-lo cair na tentação. Jesus mantém-se firme, e interpretando bem o Salmo, Ele afirma “Também está escrito, não tentarás o Senhor teu Deus.” Citando Deuteronómio 6:16.

Ou seja, apesar de Deus prometer que nos vai proteger de todo o mal que desconhecemos, e transformar o mal que nos acontece, em bem, bem significando crescimento espiritual, nós não devemos tentar Deus, no sentido de desafia-lo para ganhar alguma coisa Dele.

Deus é Altíssimo, Omnipotente, Senhor e Deus é Deus, por isso Ele não nos deve nada, Ele não tem de responder a exigências nenhumas. Deus faz o que entender que deve fazer. Por isso não devemos transformar uma suposta fé em excesso de presunção e confiança. Se Deus quiser que apanhemos Covid_19, então apanharemos. Se Deus permitir que morramos, então vamos morrer. Mas sempre mantendo a Fé naquele que é o Altíssimo e que se Ele optou por fazer assim, então é porque Ele sendo o Senhor Deus perfeito, fez o melhor.

Um outro alerta é que o próprio Satanás usa a Bíblia para enganar Jesus, e Jesus não se deixa enganar porque Ele conhece a Palavra de Deus. Se nós não conhecermos a Palavra de Deus, facilmente podemos ser enganados pelo mal, a pensar que estamos a fazer o bem. Podemos aproveitar o tempo que agora temos para ler, meditar e conhecer mais a Palavra de Deus.

Gostaria de terminar com os versos 15 e 16. Deus afirma que se o invocarmos Ele vai responder, e nos vai mostrar a Salvação. Estas palavras fazem-me lembrar uma outra passagem Bíblica em Jeremias 29:11-14

“Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que desejais. Então me invocareis, passares a orar a mim, e eu vos ouvirei. Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração. Serei achado de vós, diz o Senhor, e farei mudar a vossa sorte; congregar-vos-ei de todas as nações, e de todos os lugares para onde vos lancei, diz o Senhor, e tornarei a trazer-vos ao lugar donde vos mandei para o exílio.”

Busquemos o Senhor enquanto se pode achar, que como o Salmo 91:9 diz façamos do Senhor o nosso refúgio e do Altíssimo a nossa morada. Estamos nas nossas casas confiando que isso nos pode trazer segurança, mas a nossa verdadeira segurança vem quando fazemos do Deus Todo-poderoso a nossa casa ou melhor morada conforme o Salmo.

Bom domingo a todos!

 

 

Publicado por: absesimbra | 30 de Março de 2020

Older Posts »

Categorias